Com 20 empresas, ‘Pacto pelo Esporte’ é lançado com presença de ex-atletas

Com a presença de medalhistas olímpicos como Gustavo Borges,  Hortência e Ana Moser, foi lançado em São Paulo, nesta quarta-feira, o  chamado ‘Pacto pelo Esporte’. O projeto, liderado pela ONG Atletas pelo  Brasil, pelo Instituto Ethos e pelo Grupo de Lides Empresariais (Lide),  promete revolucionar o apoio privado a confederações, federações e  clubes.Vinte empresas, dentre as quais algumas das que  mais investem em esporte no País, são signatárias do Pacto.   O acordo é  voluntário e vai definir regras e mecanismos nas relações entre os  patrocinadores e as entidades esportivas.Os signatários  do Pacto se comprometem com cláusulas que determinam que apenas as  entidades que cumprirem determinados requisitos de gestão terão acesso a  investimentos destas empresas. A tendência é que, com as entidades  apresentando melhores modelos de gestão, aumente o interesse privado em  investir no esporte.”   As cláusulas da autorregulamentação  foram estipuladas pelas companhias participantes do grupo de trabalho do  Pacto, formado há cerca de um ano, e tratam das novas condições nas  áreas de gestão, governança e transparência para efetivação dos  patrocínios feitos pelas empresas às entidades. Os contratos já em vigor  serão respeitados. Após o período de dois anos, os novos patrocínios  passarão a seguir as regras firmadas pelo acordo”, explica o Pacto.   A  secretaria-executiva do grupo será exercido pela ONG Atletas pelo  Brasil, liderada pela ex-jogadora de vôlei Ana Moser. As empresas  signatárias, que farão parte da plenária do Pacto, terão uma série de  ações que visam contribuir para que as entidades esportivas consigam  cumprir os itens presentes no documento.   São signatários  do Pacto: Aché, Banco do Brasil, Bradesco, BRF, Carrefour, Centauro,  Coca Cola,...

Com apoio de atletas, empresas assinam pacto em “dia histórico” no esporte

Marcos Mesquita/Atletas pelo Brasil Rai, Hortência, Gustavo Borges Mauro Silva, Magic Paula e Ana Mozer no lançamento do “Pacto pelo Brasil” Com a presença de atletas, 20 empresas assinaram nesta quarta-feira (28), em São Paulo, o “Pacto pelo Esporte”, iniciativa pioneira de autorregulação de investimentos privados no setor. “Um dia histórico” para o Brasil, na definição do ministro do Esporte, George Hilton, e de outros presentes. O documento prevê 10 cláusulas, as quais deverão ser seguidas por todos os clubes, federações ou confederações de qualquer modalidade que queiram estabelecer relações de apoio com as empresas signatárias. Para que acordos entre patrocinadores e patrocinados sejam firmados, serão exigidas comprovações de práticas rígidas de gestão e governança.  “Um passo além do Profut”, comemora Eduardo Bandeira de Mello, presidente do Flamengo. “O ‘Pacto’ é o setor privado declarando que só apoiará aqueles que andarem na linha, dentro dos próprios critérios do Profut e outros adicionais, como criação de um comitê de ética e participação de atletas em conselhos”, avaliou. Na outra ponta, diz o cartola, o acordo também protegerá as empresas. “Amanhã ou depois uma entidade pode se envolver em algum escândalo e a imagem negativa pode respingar no patrocinador. Estão se resguardando”, disse, em posição apoiada pelo presidente da empresa farmacêutica Aché, Paulo Nigro: “Não podemos mais correr o risco de nos associarmos a entidades ligadas a práticas de má gestão”. Os contratos de patrocínio já em vigor serão respeitados. Em dois anos, os novos patrocínios passarão a seguir as regras do “Pacto”, estabelecidas pelas próprias empresas. Os signatários se comprometem a criar mecanismos de auxílio aos clubes, federações e confederações, a...

Pacto pelo Esporte é assinado por 20 empresas

O Pacto pelo Esporte, acordo setorial que autorregula os investimentos no setor, foi assinado nesta quarta-feira (28), conforme a Folha antecipou no fim de setembro, por 20 empresas. A iniciativa inédita tem o intuito de criar uma cultura profissional na gestão dos investimentos, com melhor governança e mais transparência. Das 25 empresas que participaram desde o ano passado do grupo de trabalho do Pacto pelo Esporte, 19 estavam confirmadas como signatárias antes do lançamento desta quarta-feira, no Instituto Tomie Ohtake, em São Paulo. Durante a manhã, a BRF foi a 20ª a assinar. São elas: Aché, Banco do Brasil, Bradesco, BRF, Carrefour, Centauro, Coca-Cola, Construtora Passarelli, Correios, Decathlon, Ernst&Young, Estácio, Gol Linhas Aéreas Inteligentes, Itaú / Unibanco, Johnson&Johnson, McDonald’s, P&G, Somos Educação, TAM e Vivo/Telefonica. Novas adesões ainda podem acontecer, mas não desistência das companhias que já assinaram o acordo setorial. Representantes de algumas das maiores empresas do Brasil estarão presentes no evento, que também contará com a presença de atletas e ex-atletas que apoiam o projeto, como Ana Moser, Hortência Marcari, Magic Paula, Mauro Silva e Raí. O acordo visa estabelecer e unificar regras mais rigorosas de gestão, integridade e transparência e impô-las a confederações, federações e clubes que recebem dinheiro por meio de patrocínios. Empresas também terão de seguir certas cláusulas. A iniciativa é da organização Atletas pelo Brasil, com o Instituto Ethos e a entidade empresarial LIDE Esporte. O pacto tem itens baseados na lei anticorrupção, em vigor no país desde janeiro de 2014, e nas alterações de 2013 da Lei Pelé, que limitaram mandatos de cartolas e obrigaram as entidades a terem maior participação de...